A fé que move fortunas

Desde a chegada dos Jesuítas no Brasil, a religião institucionalizada esta presente na história do nosso país. Longe de querer me prender a generalizações esquivando de movimentos religiosos como a teologia da libertação no regime militar, ou movimentos isolados de diversos setores cristãos em beneficio do próximo, é imprescindível lançarmos um olhar critico à respeito da constituição de verdadeiros impérios religiosos, a partir da fé de uma multidão alienada. 

O que Deus tem a ver com isso?


Cada pessoa é livre para manifestar a tua fé, e a própria constituição assegura liberdade de credo. No entanto esta mesma constituição adverte que é ilícito o uso do dinheiro arrecadado dos fieis para  fins pessoais.  Na contramão da lei, observamos os patrimônios construídos a partir destas "doações". 


A Igreja Universal do Reino de Deus, por exemplo, compra horários da programação da Rede Record, durante a madrugada, por R$ 300 milhões . Uma quantia que saí diretamente dos donativos e compõe o patrimônio da Rede Record; ambas instituições tem à frente de sua direção o bispo Edir Macedo. 


O Ministério  Público esta avaliando se a compra da emissora Record pelo bispo Edir Macedo foi ilegal, segundo os autos ele utilizou as  doações de milhões de fieis para aquisição da empresa. Paralelo a este fato, outras ações judiciais estão em tramite, vários religiosos alegam danos morais e materiais após vender os seus bens e doa-los a igreja. Fatos como estes  acontecem em diversas religiões. 


Enquanto a constituição adverte que estas instituições não podem ter fins lucrativos e não devem remunerar seus dirigentes, observamos lideres religiosos sobrevivendo com o dinheiro dos fieis. 


Se por um lado a religiosidade compõe o patrimônio cultural e a fé traz inúmeros benefícios as pessoas, é importante observar o comportamento das instituições religiosas para não se tornar vitima do mercantilismo. A fé que move montanhas, tem construído impérios em nome daquele que um dia declamou que o teu reino não era deste mundo.


11 comentários:

William disse...

Religião é uma coisa muito complicada para se conversar, porque muitos preferem fechar os olhos a favor de um fanatismo exagerado.
Deus é um só para todos!!!
Independente de religião.
O resto, é papo furado.
Abraço

William
www.tocadowilliam.com

Victor Pagani disse...

No mundo de hoje é difícil confiar em alguém
Mesmo que esse 'alguém' realmente seja bom

[]'s

Luciano Castro disse...

há pessoas que pregam pelo amor
há pessoas que pregam pelo perdão
há pessoas que pregam pela salvação
há pessoas que pregam pelo dinheiro,
onde há dinheiro, está ai, todos os males, o dinheiro cega....

o dizimo é biblico, não devemos olhar para o homem, ou pensar que estamos dando dinheiro pra igreja ou pro pastor,Se ele usa pra outros fins que não seja da igreja, esse terá que prestar contas com Deus.

Victor Von Serran disse...

voltamos a idade media...

o clero volta a ter poder(comunicaçoes)

a democracia e liberdade são postas de lado !

exploração dos incaltos...a verdadeira fé corrompida !

eu te entendo brow..e concordo !


se quiser retribuir a gentileza passa lá no meu blog que seus comentarios serão bem vindos

http://universovonserran.blogspot.com/

blog premiado e indicado pelo jornal Destak

Kiko Lemos disse...

Tema complicado, como Willian comentou muitos preferem fechar os olhos, mas precisamos ao menos ter um senso crítico para separar o que é certo da picaretagem

Clube do Filme disse...

Concordo com o comentário do William..
Na minha opinião, a igreja mesmo é um tanto manipuladora...

Nero disse...

Deve haver distinção entre fé e religião. A fé é algo ótimo, faz bem pras pessoas. Mas religião se tornou negócio... Empresa... É vergonhoso ver atos do tipo. Cadê o amor ao próximo? Cadê o bem? Excelente texto. Virei seguidor do blog =]

o sobrevivente na selva disse...

Olá , retribuindo a visita... nossa, show é o seu blog hein! rs, já frequentei a igreja universal, e não pude deixar de me chatear com o fato de pedirem dinheiro constatemente, houve um culto que foi inteiro para pedir grana dos fiéis, na minha opinião são criminosos, pois aproveitam da fé e fragilidade das pessoas para obterem lucro, a fé reside no quanto vc acredita em Deus, e não no quanto vc tira da sua carteira! Parabéns pelo post!

http://sobreviventenaselva.blogspot.com/

Cadinho RoCo disse...

O próprio Cristo se manifestou contra o mercado que gira em torno dos templos e instituições religiosas. Assim é a humanidade.
Cadinho RoCo

Junior disse...

as pessoas desse tipo acham que estão salva, um dia até comentei,elas se hiludem tanto com o que m cara que se intitula ''Pasto'' falar, que no final acabam parecendo ovelhas mesmo...

abraço, belo blog,to senguindo

♥♥NaNnA BeZeRrA♥♥ disse...

Caraca, esse é um papo que dá muitas discussões. Porém, darei minha opinião: Sou espírita kardecista e na minha religião não falamos em dinheiro. Falamos em ajuda mútua, sem compromisso. Você dá o que seu coração manda. Se pode e quer dar uma grana grande, é contigo mesmo. Se não quer dar nada, não dê. É assim que é! Priorizamos em nossa conduta ajudar a quem precisa e eu entendo que o dízimo de que falava JESUS tem muito haver com isso. Dividir, não dar o que sobra. Dividir! Integrar-se numa comunidade que se baseia no bem estar coletivo e do outro. Não importando a que denominação religiosa ele pertença!
Fato!
beijos